As piscinas de plástico são cheias de vantagens: fáceis de montar, econômicas e sem necessidade de manutenção constante (diferentemente do modelo tradicional). Além disso, são perfeitas para quem está longe de praias e clubes mas não abre mão de um mergulho delicioso para espantar o calor.

Mesmo com todos esses benefícios, é necessário manter uma rotina de cuidados. Sobretudo se a piscina costuma ser utilizada mais de uma vez sem troca de água – o que é bastante comum, e recomendado por grande parte dos especialistas, já que economiza água e permite que a piscina esteja sempre disponível. Nesses casos é imprescindível fazer a limpeza.

 

 

 

1 – Retire diariamente os insetos mortos e as folhas da água, com a ajuda de uma peneira plástica.

 

2 – Se a sujeira se acumula muito rapidamente, compre uma capa protetora e estenda sempre que a piscina não está sendo utilizada.

  

3 – As bordas e as laterais da piscina de plástico devem ser limpas regularmente com uma escova de cerdas suaves, para evitar danos. 

  

4 – Jamais esqueça de tratar a água da piscina. A regra é bem básica: quanto maior o modelo, mais alta será a quantidade de produtos e a frequência do tratamento. 

 

 

5 – A fórmula abaixo é a mais adequada, segundo especialistas:

• Cloro: aplique 4 gramas de cloro granulado (ou 15ml de cloro líquido) para cada 1.000 litros de água 3 vezes por semana;
• Algicida: use 5ml para cada 1.000 litros de água apenas 1 vez por semana;
• Clarificante: recomendado apenas para quando a água estiver turva esverdeada. Nesses casos, o ideal é 4ml para cada 1.000 litros de água.

• Em todos os casos acima, os produtos devem ser aplicados após o último banho, evitando-se a piscina pelas próximas 10 horas.

 

6 – E não esqueça: piscinas acima de 2.500 litros necessitam de filtro, que deve ser ligado pelo menos 3 horas ao dia. O custo do equipamento compensa a economia de água, já que, com filtro, pode-se passar 3 meses sem troca de água.